segunda-feira, julho 17, 2006

A hora da retirada

Fico pensando aqui que existem pessoas que realmente não sabem a hora de se retirar, de sair de fininho, de não deixar rastros, de simplesmente sumir. Acho eu que se retirar é a melhor solução quando não se tem solução. Muitos entendem retirar-se como sinônimo de fugir.
Não concordo plenamente. Acho que se retirar é uma saída honrosa, bastante íntegra. Antes de se retirar geralmente existem as fases de reflexão, tentativa e decepção. Algumas pessoas se retiram sem passar por essas fases, refletem apenas, tratam o que desejam como impossível, e se retiram.
Retirar-se dignamente, na minha concepção é passar por todas as fases, refletir sobre o que se deseja, tentar conseguir o que se deseja (é aí que se deve se empenhar ao máximo para conseguir o objetivo). O que vem depois da tentativa – mal fadada, vale dizer – é a decepção. Não se atingiu o objetivo...o que resta??Retirar-se. Pairar por aí, a procura de novos encontros, esperar desencontros, novas tentativas. Pra mim é questão mesmo de ensaio e erro.
Se a humanidade lidasse bem com a decepção e com o fracasso, certamente haveria menos tragédias. Não quero cair em lugar-comum e dizer que haveria menos fome, degradação, violência, guerras...quero falar das tragédias micro, das que nós vivemos, no nosso canto mesmo, sem invadir país algum.
O importante é que depois que se decepcionar nós saibamos a hora de pegar o bonde de volta e simplesmente admitir: perdi. Perdi porque não se ganha sempre, perdi porque era pra perder, o até: “Perdi, mas eu nem queria ganhar mesmo!”. Saber perder é isso, é saber que se é um perfeito idiota ao tentar, mais idiota ainda por desejar, e principalmente idiota por não conseguir. Ora, O importante não é competir, o importante é vencer, deixemos de tentativa vãs de acomodação. Perder é péssimo, e, quando perdemos, devemos é sair, abandonar o barco, pegar nossas malas e cair no mundo. Perder é péssimo mas reconhecer-se perdedor é revigorante.
Fico pensando no que há de tão horripilante quando nos vemos como perdedores. Não chego a outra resposta que não a queda do Narciso, o destronamento da majestade. Perdemos e perdemos feio. Agora, o que fazer?Aceitar é o primeiro passo para que se tente ganhar outra vez. Acho eu que uma perda dá um novo sabor a próximas tentativas de conquista....aparece um novo objeto de nossas entranhas, amamos fervorosamente, queremos ardentemente, e...quando vemos, aquela derrota, aquela lá, acabou-se, evanesceu, logo estamos, de novo, empenhados na nova tentativa, que parece mais instigante, mais colorida, mais merecedora do nosso empenho.
É importante perder, essencial saber perder, manter-se de pé e voltar a tentar. Penso no Mário Quintana, que dizia bem assim, que se as coisas são inatingíveis, isso não é motivo para não quere-las. Tudo bem, Quintana, é importante o empenho, mas, otimismos à parte, tem uma hora que chega não é? o inatingível é apenas inatingível e não será eu que vou atingir!Até otimismo tem limite.
Eu sei me retirar, por isso, refleti, tentei imensamente, mas, vã ilusão, evanesceu, decepção é caminho pra retirada.

4 comentários:

Anônimo disse...

Mirian Brasil do Universo... to sempre aqui esperando voce postar mais.. li esse da retirada e achei muito foda, e eh uma das coisas que eu mais temo - ter q me retirar...

nao sei oq houve com vc nem oq fizeram com vc ou vc fez com alguem, mas tao fudido pq se lerem isso se matam.. nao minha filha, pq seus textos sao "pega-faca" ahahaha adoro!

te amo e to com saudades

Anônimo disse...

oxiii meu deus foi o david qm escreveu! kkkk

te amo argentina

Anônimo disse...

ai se bem q com "mirian brasil do universo" vc ja tinha percebido ne? kkkkkkkk vo parar de encher seus comentarios

=**

Priscila disse...

Minha amiga (aplausos)mais uma vez vc foi foderoza hehe.
Sério,não sei como vc acertou no texto,mas hj passo por essa decepção e o de retirar-se.
Concordo com o q vc diz, e com certeza se percebemos q td q fizemos foi de nosso alcance e por meras e inumeras razoes não pudemos ter o q queriamos,só nos basta sair e buscar em outros corpos nossa inquietação humana.Admitir q errou é o crescimento pessoal de cada um,e não admiti-lo,com certeza é o fim, é a fuga.
Enfim,cair a ficha e seguir a vida,pois ela pede passagem!!!!!!
Bjs